Prefeitura Municipal de Mirandiba

Cultura

Patrimônio Histórico   Pela longevidade do distrito de Tupanaci, suas casas representam uma cultura de mais de 200 anos, preservada pelo contrato de convênio assinado, em 18 de junho de 1996, com o Ministério da Cultura, através do Fundo Nacional...

Patrimônio Histórico

 

Pela longevidade do distrito de Tupanaci, suas casas representam uma cultura de mais de 200 anos, preservada pelo contrato de convênio assinado, em 18 de junho de 1996, com o Ministério da Cultura, através do Fundo Nacional de Cultura e a Prefeitura de Mirandiba para preservar os aspectos históricos da ocupação do sertão pernambucano e da arquitetura popular. Através da Fundação de Desenvolvimento Municipal do Interior de Pernambuco (Fiam) e da utilização de mão-de-obra local, mais de 60 casas de valor histórico-cultural do distrito de Tupanaci, que conservam traços da época colonial, foram recuperadas.

 

Igreja de Nossa Senhora da Conceição

 

A povoação do distrito, desde o seu surgimento, guarda consigo a fé católica. A Igreja de Nossa Senhora da Conceição, construída em meados do século XIX, pelas famílias locais, pertence a circunscrição eclesiástica da Diocese de Afogados da Ingazeira. No perído entre 01 a 08 Dezembro ocorre a Festa da Padroeira de Nossa Senhora da Conceição.

 

De acordo com o pesquisador João Diniz, na segunda metade do século XIX, as margens do Rio Pajéu, se reuniam na casa de José Alves de Carvalho e de sua esposa Isabel Leite de Sá, familiares e vizinhos para a celebração da novena da Imaculada da Conceição.

 

Com o passar do tempo o número de fiéis, que participavam da novena e festividades, foi crescendo e a residência do casal não oferecia mais suporte para abrigar as celebrações.

 

Em uma das reuniões, o casal José Alves de Carvalho e Isabel Leite de Sá com o Pe. Manoel Lopes Rodrigues de Barros, Francisco Xavier Diniz, Vitorino Pinto da Silva Sobrinho[12] e Alexandre de Sá Leal[13] abordaram a ideia da construção de uma capela.

 

O início da construção se deu em 1874, com doação de Antonia Gomes Diniz de um terreno medindo 100 braças de frente e 400 de fundo, partindo do leito do rio Pajeú em Santa Maria, sob a responsabilidade de Cirilo Gomes Diniz e do Padre Manoel Lopes Rodrigues de Barros.

 

Veio um mestre do Ceará, da família Petinga, que construiu lindos oratórios e fez desenhos em estilo barroco nos altares. Antonio Limeira e Cirilo Gomes Diniz também contribuíram nas obra arquitetônicas.

 

Em 1922, o Major José Gomes Diniz e o Pe. José Kehrler, o sacerdote de Nossa Senhora das Graças, terminaram a construção da capela.

 

A arquitetura da antiga capela assim como os oratórios, desenhos e altares eram de estilo barroco. Depois de passar por um processo de reconstrução liderada por Dom Augusto Carvalho, suas características mudaram para o estilo moderno. A Igreja ainda preserva a imagem de Nossa Senhora da Imaculada Conceição medindo 25 cm em estilo barroco e com reflexos de ouro que pertencia ao casal José Alves de Carvalho e Isabel Leite de Sá que fundou a novena da Imaculada Conceição.

 

Associações

 

Em 1955 existia o Centro Social Nossa Senhora da Conceição, na Vila de Tupanaci, que na época, pertencia ao município de São José do Belmonte. Em 15 de dezembro de 1988 foi criado a Associação de Moradores e Amigos de Tupanaci que tem sede na distrito, à Rua Cirilo Gomes, S/N e foro na cidade de Mirandiba.