Distrido de Tupanaci

Tupanaci, antiga Vila de Santa Maria, é um distrito do município de Mirandiba do estado de Pernambuco.   HISTÓRIA Salvador foi a capital do Brasil nos períodos de 1549 a 1763, a Baía de Todos os Santos foi o ponto...

Publicado em

Tupanaci, antiga Vila de Santa Maria, é um distrito do município de Mirandiba do estado de Pernambuco.

 

HISTÓRIA

Salvador foi a capital do Brasil nos períodos de 1549 a 1763, a Baía de Todos os Santos foi o ponto principal de entrada de imigrantes durante esse período. Muitos portugueses que se aventuraram no Brasil até a segunda metade do século XVIII, participaram da interiorização do sertão através do ciclo da pecuária. Para adquirir terras era necessário o arrendamento através da Casa da Torre, proprietária dessas terras na província de Pernambuco.

 

Tupanaci esta situada nas terras da antiga Fazenda Brejo do Gama, arrendada pelo português Manoel Lopes Diniz na segunda metade do século XVIII. A povação do distrito surgiu com os descendentes dos primeiros colonizadores que se instalaram na região.

 

Apesar de sua antiga existência, somente através da lei municipal n° 26 de 10 de julho de 1920 foi criado o distrito de Santa Maria e anexado ao município de São José do Belmonte. A divisa interdistrital de Santa Maria com o distrito de Mirandiba, foi delimitado nestes termos:

 

“Começa na nascente do riacho Ouricuri ou Mulunga… canto dos municípios de Floresta, do Salgueiro e de José do Belmonte, segue por uma reta para a nascente do riacho da Barreira, que toma os nomes locais de Prece e Barriguda, desce por este até encontrar as divisas com o Município da Serra Talhada.”[1]

Reforma administrativa do Estado

Na década de 30 o estado de Pernambuco formou uma comissão com o propósito de solucionar o problema da duplicidade dos locativos dentro do Estado. A Comissão de Divisão Administrativa do Estado de Pernambuco em trabalho calcado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, infelizmente não utilizou o fator histórico e da tradição imemorial da toponimia de locais existentes no Estado, demonstrado no parecer de 1943 de Liberalino de Almeida

 

“Pode dizer-se que se dera uma limpa em regra na toponimia pernambucana predominando o elemento indígena, relevando ponderar que não ha mais razão para essa prevalência, pois que a lingua dos indios esta quase morta. É uma língua cultivada no Brasil por meia dúzia de intelectuais formando com a nossa representação gráfica uma literatura composta de lendas”, “Ao nosso ver, sem discutir com a duplicidade de locativos dentro do Estado, a generalização adotada não foi justa, por isso que não se foros de cidade ao fator histórico, senão em casaos muito especiais”.

Na 4° reunião da Comissão de Reforma da Divisão Administrativa do Estado em 26 de abril de 1938 houve o estudo da proposta contida na cópia do ato n. 7, da prefeitura de Belmonte sobre a mudança do nome da Vila Santa Maria para o de Gomes Diniz.[2] Não havendo êxito, no ano de 1943, após anos de trabalho, foi aprovado decreto-lei estadual nº 952 no dia 31 de dezembro, o distrito de Santa Maria passou a denominar-se Tupanaci.[3]

 

Em 18 de março de 1953 foi apresentado, por Suetone de Alencar, o projeto de lei n° 26 criando o Município de Mirandiba, constituido dos distritos de Mirandiba e Tupanaci, desmembrados do município de Manissobal (São José do Belmonte).[4] Alguns anos depois a lei estadual nº 3234, de 29 de novembro de 1958, desmembra do município de São José do Belmonte os distritos de Mirandiba e Tupanaci.

Font Resize